Carnaval 2009

Caminhando, Brincando e
Seguindo a Lição…

18 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente

É o raiar da esperança em cada criança
Chegou a hora de sonhar
Vai brilhar dignidade e felicidade
Em cada olhar

Pimpolhos da Grande Rio
Pulsando em um jovem coração
Sambando pra vencer os desafios
Caminhando, brincando e seguindo a lição
Sonho inocente de carinho
Alimentado com dignidade
Nutridos pelo respeito
Direito à eterna liberdade

Pra não dançar na rua ser alguém quando crescer
Doutor na alegria e ver renascer
Nas linhas do estudo querer ainda mais
Esporte, cultura e um mundo de paz (BIS)

É em casa que se faz a formação
Bem melhor que a repressão
Harmonia e o amor
Não ser um número na marginalidade
Conhecer florestas e cidades
Criança tem que ter eternidade
Nascer a Pátria da bondade e do respeito
E vence quem preserva os seus direitos
Das garras do novo bicho papão

É o raiar da esperança em cada criança
Chegou a hora de sonhar
Vai brilhar dignidade e felicidade
Em cada olhar

Presidente: CAMILA VIDAURRE SOARES
Presidente de Honra: JAIDER SOARES
Diretoria de Carnaval: JOSE ALBERTO ALVES, ROSÂNGELA ROSA, CELIA DAVID E WALTER 59
Diretor de Harmonia: ANTONIO GUILHERME PINTO SANTOS
Diretor de Harmonia Mirim: CAROLINA, YAGO,

Carnavalesco: COMISSÃO ARTÍSTICA (LIVIA DINIZ, MARCOS CARDOSO E EDMILSON) E ESTAGIÁRIOS DA EBA DA UFRJ
Número de Componentes: 1500
Número de Alas: 21
Número de Alegorias: 3 CARROS E 2 TRIPÉS
1º casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: LUAN E JULIANE
2º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: ANDREY E LORRAINE
3º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: LUIZ ALBERTO E RAIANE
Compositores do Samba Enredo: Vitória, Anderson, Thompson e Junior
Intérprete Oficial: Thompson Rodrigues Monteiro
Intérpretes Auxiliares: Vitória R. Monteiro, Carlos Eduardo (Dudu) Marcelo Junior, Anderson M. Nascimento, Everton Messias, Rafael, Ruan e Gustavo Muniz
Diretor de Bateria: Wagner Dantas (Mestre Waguininho)
Diretor de Bateria Mirim: Ingrid Parrini
Diretores de Bateria Auxiliares: Jhony César e Alex Donozor
Rainha de Bateria: Natália
Princesas de Bateria: Rayssa
Simpatia de Bateria: Gabriellen

Responsáveis pelos Segmentos:

Responsável pela Comissão de Frente (Coreógrafo): Fabrila Cruz
Número de componentes da Comissão de Frente: 15
Responsável pela Ala das Baianas: Marinéia
Números de componentes da Ala de Baianas: 40
Responsável pela Ala de Passistas: Rosangela Patrocínio
Número de componentes da Ala de Passistas: 50

Introdução:

Todos nós, desde que nascemos somos cidadãos com direitos e deveres em nossa sociedade. Essa sociedade, que por vezes, torna-se injusta com alguns indivíduos, transformando-os em pessoas marginalizadas ou simplesmente sofredoras.
Com o intuito de enfatizar esses direitos, brilhantemente foi criado o Estatuto da Criança e do Adolescente adotando leis para preservar o futuro do nosso país.

Setor 1

Esse setor enfatiza os direitos fundamentais, focando da primeira infância.

Caminhando – Direitos Fundamentais:
·Direito a vida e a Saúde; Direito a Liberdade, o Respeito e a Dignidade
·Direito à convivência familiar e comunitária

Primeiros Passos:
A importância do leite materno para os bebês, faz com que este receba os nutrientes necessários para a formação de anticorpos e toda sua estrutura óssea e muscular para toda vida. A campanha Leite é Carinho, feita pelo banco de leite, dá oportunidade a mulheres que não têm leite de alimentar seus bebês.
Toda criança precisa de carinho e acalento, cuidados que a mãe e a família precisam ter com a criança, como: Vacinação, teste do pesinho, certidão de nascimento, boa alimentação e etc…
A proteção integral é uma necessidade, onde pais, família, amigos e de toda a sociedade precisam estar presentes na vida e na educação das nossas crianças e adolescentes.
O álbum vivo da nossa realidade mostra o não cumprimento dos direitos:
O que acontece com o não cumprimento desses Direitos Fundamentais?
Sem o cumprimento dos direitos nossas crianças acabam na dança na Rua, tendo que dar um jeito de conseguir sobreviver, para isso, vendem balas fazem malabarismos e engraxam sapatos pelas ruas, perdendo o direito de serem crianças e  de sonharem com o que podem ser quando crescerem.
Estamos gritando SOS Vida para a sociedade que precisa enxergar sua responsabilidade:
A responsabilidade do estado em relação ao bem-estar social representada pela enfermeira.
•Ações de ONGS (organizações não-governamentais) que fazem diferença e apontam para necessidades da população como osDoutores da Alegria, a Pimpolhos,,  etc..
Outros pontos importantes são: O Direito a convivência comunitária. O relacionamento com outras crianças dentro de sua comunidade , poder caminhar de bike,  brincar e ser feliz.
Direito a convivência com a família e amigos e  o direito à dignidade, permitem as crianças crescerem como seres humanos melhores. O aniversário é uma data importante para todas as crianças, uma forma delas perceberem que as pessoas se importam com elas,  onde à criança celebra a vida.

Setor 2

Esse setor continua enfatizando os direitos fundamentais só que agora estamos fazendo referência à segunda infância.

Brincando – Direitos Fundamentais:
·Direito a Educação, Cultura, Esporte e Lazer.
·Direto à Profissionalização e a Proteção ao Trabalho

Direito a educação de qualidade. A necessidade de se repensar em novas formas de educar que aproximem mais as crianças com o  aprendizado. O prazer de aprender de curtir a lição .A educação através da ludicidade (brincadeiras) ressalta o respeito a todas as culturas, todos os povos, seus costumes e direitos, fortalecendo o aprendizado, a harmonia e o senso de coletivo, através da prática de esportes.
O brincar é o direito de ser criança e viver de verdade.
A Dança na Rua representa a realidade da falta do direito à Educação, à Cultura , ao Esporte e ao Lazer, da  vida difícil dos meninos de (na) Rua ( jogando bolinhas em frente aos carros, vendendo balas e limpando vidros, representando a morte da infância).
O que eu POSSO ser quando crescer? Direito à Profissionalização e à Proteção no Trabalho. Representa a falta de perspectiva no futuro por maioria das crianças e adolescentes.
Brincando de Brincar Uma crítica a falta de educação sexual, que tem como uma conseqüência a gravidez precoce.Meninas que perdem a adolescência e muitas vezes, a infância por ficarem grávidas muito cedo.

Setor 3

Representa a consciência dos direitos por parte da família, da criança e do adolescente, quando todos se percebem como cidadãos atuantes, capazes de refletir e criticar o não cumprimento dos direitos.

Seguindo a Lição – Consciência dos Direitos
Educação começa em casa A importância das atitudes dos pais dentro e fora de casa que se transformam em exemplos para as crianças
· Mais uma vez a  importância da proteção integral, ou seja, todos são exemplos para as nossas crianças e adolescentes.
Comunicação não violenta “Dê amor, não dê pancada.”
· Reconhecimento das necessidades por traz de cada atitude em contraste com as avaliações que fazemos com violência. A importância de se usar palavras delicadas para comunicar e educar.
Meninos Presidiários “Somos indivíduos e não números”
· Representa o descaso da sociedade com os jovens que muitas vezes vão parar em centros de reabilitação, por não terem tido seus direitos preservados na primeira e na segunda infância.
· Fazemos uma crítica também a esses espaços de reabilitação que funcionam como verdadeiras prisões, não cumprindo seu papel de inserção social, colaborando na verdade, na transformação dos jovens em verdadeiros monstros.

Caveirão – Bicho-papão
Fazer uma reflexão sobre si mesmo e como as suas atitudes refletem no todo, buscar por alternativas na escolha dos caminhos.
Novas possibilidades, explorar e conhecer o mundo (viajando na imaginação de foguete, de bondinho, de ônibus, de carro, de trem, de nave, de pedalinho, de avião) com igualdade para todos.
Respeito é bom e todo mundo gosta “Não faça com os outros o que você não gostaria que fosse feito com você”.
· Crítica a prostituição infantil, onde vendem se crianças a $1,99.
· A Sociedade que finge não vê, não reage a esta brutalidade de forma ativa.
Comissão de Fundos mostrando as realidades do não cumprimento dos direitos, fotos realistas de fatos que já aconteceram e que acontecem.
· Uma grande faixa irá se abrir na avenida com um texto:
Depois de 18 anos da criação do ECA, ainda vemos cenas como essas. Eai, quando isso vai parar??????
Contrastando com a realidade, vamos colocar fotos de crianças felizes e sendo amadas e cuidadas para fecharmos o desfilecomo é importante cuidar das crianças e dos adolescentes.